INVERSE: “The Magicians” está diferente dos livros, e isso é bom!

“É uma mídia diferente, você conta histórias diferentes lá. Nem tudo é traduzido diretamente”

Adaptações podem ser complicadas, especialmente se forem de séries de livros conhecidos e amados. Seja no cinema ou na TV, é um desafio para os criadores atender aos anseios dos mais fanáticos que esperam uma representação legítima da história que eles amam, e também ao mesmo tempo apresentar uma nova versão na esperança de arrastar novos fãs. Game of Thrones parece ter conseguido esse tipo de equilíbrio, desde os livros do autor George R. R. Martin as cinco temporadas na HBO a uma enorme onda cultural. Até mesmo Harry Potter com sua longa franquia de filmes, teve em sua maioria sucesso ao modificar certas partes especificas dos livros de J.K Rowling. Agora, uma outra série sobre magia está enfrentando o mesmo dilema.
A série de TV, The Magicians do Syfy proveniente dos livros de Lev Grossman promete ao mesmo tempo, honrar a coleção de livros e destruí-la completamente. Mas isso é totalmente OK!
The Magicians conta a história de Quentin Coldwater, um solitário e obcecado por livros de fantasia de 20 e poucos anos que se vê aceito numa universidade de magia chamada Brakebills. (Ou seja, Hogwarts para universitários). Sua melhor amiga Julia não é aceita em Brakebills, mas se torna obcecada em conseguir sua própria “educação mágica” o que faz com que se junte a um obscuro grupo de desajeitados, que não são bruxos de Brakebills. Diferentemente de Quentin, ela vai tentar alcançar seu potencial mágico custe o que custar. Ponha um grupo de mágicos festeiros de Brakebills e uma espécie de mundo Narniano que assombra os pensamentos de Quentin, e assim você terá os principais magos de The Magicians.

Os amantes dos livros que assistiram os três primeiros episódios da série, nas últimas duas semanas, devem ter achado algo semelhante ao livro de Grossman, mas nada idêntico. O público deverá esperar um tempinho até que a história, que deve ser criada lentamente, chegue ao clímax do livro. O grupo criativo por trás das câmeras obviamente quis colocar suas mentes para trabalhar, e não há de errado com isso.


Muitos posts na internet surgiram comparando a série aos livros. E há muito o que falar sobre. Por exemplo, o elenco é um pouco mais velho do que seriam os personagens nos livros. A própria depressão clínica do Quentin é um dos enfoques da série, sem contar o quão cedo o universo tipo Nárnia é inserido na história. E Julia que se afunda na magia negra ao mesmo tempo que Quentin estuda em Brakebills, ao contrário do primeiro livro.
A personagem Janet do livro agora se chama Margo, e Josh foi substituído por uma versão feminina e misteriosa chamada Kady. Além de que a série parece mostrar Quentin como uma espécie de “O escolhido”. Mas todas essas coisas são pontos menores. Até Grossman concorda. No seu site oficial ano passado, logo após a Syfy ter liberado o sneak peek dos dois primeiros episódios de The Magicians, Grossman fez um pequeno post acalmando os fãs quanto as mudanças ocorridas na série. Vai ficar tudo bem, mesmo que seja diferente.

“Algumas coisas dos livros não acontecem, outras acontecem de forma diferente e ainda há certas coisas que acontecem e não estão nos livros”, ele avisou. “Eu sou um grande fã da série”, ele diz. “Eu fico alucinado cada vez que eles me mandam um episódio para assistir. É obscuro, inteligente, estanho e muito engraçado. É muito legal poder ver a mágica na TV. Os atores estão atuando com as suas almas”.

Grossman obviamente está colhendo os benefícios enquanto autor do material da proeminente nova série, então ele está ciente de sua audiência. Ele não teve nenhum controle criativo sobre a série, mas opinou sobre cada episódio, e teve a inteligência de dar a distância que o material precisava para saltar das páginas para a telinha. Mas o ponto é que, ele não precisava acalmar os nervos de todo mundo em seu website. Ele fez isso porque respeita seus livros e a série de TV que eles inspiraram. “É uma mídia diferente, você conta histórias diferentes lá. Nem tudo é traduzido diretamente”, ele diz sobre a série. “Então, dê uma chance. Não tem nada como vê-la na TV. Eu vou estar assistindo também. ”
Assim como o autor dos livros, você deveria ser um fã de The Magicians também. Mesmo sendo um amante do livro, você talvez goste o quão diferente está”.

Fonte:  Inverse