Olivia Taylor Dudley fala ao Blastr sobre explorar o arco da personagem Alice Quinn.

Olivia Taylor Dudley, uma jovem atriz magnética que exala um encanto da Velha Hollywood fundido a uma audácia moderna, foi vista recentemente nas produções: “Chernobyl: Sinta a Radiação” e “Exorcistas do Vaticano”. Agora ela conquistou o cobiçado papel da introvertida Alice Quinn, uma estranha e enganosamente inocente estudante de magia na Universidade Brakebills que conjura um pônei a partir de uma esfera de vidro sólida diante de seus colegas de classe no piloto de The Magicians que recentemente foi ao ar no canal Syfy.

Sem estragar muito, o passado sombrio de Alice inclui pais que são magos e sua matrícula na instituição de elite com a esperança de descobrir a verdade por trás do desaparecimento misterioso (ou morte) de seu irmão nesta prestigiada universidade de magia. Sentei-me com a talentosa atriz para falar sobre a jornada de sua personagem, como foi crescer em uma fazenda de cavalos no norte da Califórnia e como suas estranhas festas de aniversário anuais a prepararam parcialmente para os acontecimentos sobrenaturais de The Magicians.

O elenco reunido pelos produtores executivos John McNamara e Sera Gamble parece muito à vontade perto um do outro. Como foi que isso se desenvolveu?

OLIVIA: Sim! Tem sido incrível trabalhar com um elenco que se dá tão bem. Tornamo-nos uma família desde o momento em que nos encontramos, desde então permaneceu desta forma e só ficou mais forte. Nós nos chamamos de família. Temos muita sorte.

Qual foi o processo de audição, e qual foi o seu primeiro contato com os livros de Lev Grossman?

OLIVIA: Eu fiz o teste ano passado e eu me deparei com o script na minha mesa apenas chamado “The Magicians”, e eu não estava familiarizada com os livros, mas eu sou uma grande fã de ficção científica e fantasia. Eu amo esse gênero, então eu imediatamente liguei para meu agente e disse: “Sim, diga a eles que eu vou participar.” Eu li para Julia, na verdade, originalmente. Eu estava na sala e eles disseram “você precisa ler para Alice” e eu disse: “ótimo, é com Alice que eu me identifico”, então eu li os livros e me apaixonei por Alice. E o processo de audição foi um dos mais fáceis para mim, porque todos nós nos demos bem logo de cara. Alice fez sentido para mim desde o princípio.

Que aspecto da personagem Alice Quinn você também possui e em quais componentes você teve dificuldade na sua representação?

OLIVIA: Eu me sinto muito como Alice. Ela é uma pessoa muito tímida e introvertida e está interessada em suas próprias coisas, não muito interessada no que os outros estão fazendo ou em conhecer pessoas novas. Eu entendo isso. Eu cresci no norte da Califórnia em um rancho, eu estudei em casa e eu era muito introvertida, não estava interessada em fazer amigos. Então eu definitivamente me identifico com ela nesse nível. Eu não consigo fazer mágica na vida real, mas se eu tivesse a oportunidade eu certamente faria um monte de magia como ela.

De seu arco na história do primeiro livro e assistindo o piloto, Alice tem o potencial para realmente ressoar com os fãs. Você está pronta para isso?

OLIVIA: Ela é a minha personagem favorita na série! (Risos) Ela é a mais fechada. Há muita coisa acontecendo com Alice que você não vai ver até que a temporada se desenrole. Eles fizeram um trabalho incrível explorando o passado dessa personagem. Há episódios especificamente construídos em torno de onde ela veio e por que ela é tão fodid* como ela é. Há um elemento nela que ela está muito confusa. E começar a explorar isso é muito divertido. Ela é a mais poderosa de todos os magos e ela esconde isso, o que é divertido de interpretar, mas isso vem à tona!

Além de ler os livros, você fez alguma pesquisa suplementar após ter conseguido o papel? Assistiu filmes, leu quadrinhos ou comprou kits de truques de mágica?

OLIVIA: Magia é algo que eu estive interessada durante toda a minha vida e eu fui criada em uma família que lidava com isso. Minha avó, com quem eu vivia, realizava sessões espíritas para o meu aniversário todos os anos. Ela era um hipnoterapeuta e eu cresci acreditando em feitiçaria e coisas sobrenaturais, então, para mim, já estava tudo lá. Eu não tive que fazer nenhuma pesquisa. Tudo veio com muita facilidade. O material de origem foi os livros, isso é tudo que eu usei.

Antes de The Magicians, quais foram algumas de suas atividades e interesses nerds?

OLIVIA: Eu costumava jogar World of Warcraft. (Risos) Eu não sei, eu sempre fui nerd. Eu fui à Comic-Con todo ano por muito tempo como fã. Eu não sou realmente uma grande leitora mais porque eu passo muito do meu tempo tendo que ler scripts. Mas se eu não estivesse lendo roteiros eu teria lido The Magicians mais cedo. Estou realmente chateada que eu não encontrei os livros antes, mas eu os tenho agora.

Você era fã de Harry Potter?

OLIVIA: Eu li os primeiros livros e assisti a todos os filmes. Eu definitivamente era uma fã.

Até agora, no esquema de produção da primeira temporada, quais foram alguns dos destaques para você?

OLIVIA:Temos tanta sorte, o nosso elenco e a equipe são tão fenomenais. Tem sido a experiência mais incrível que eu já tive em um show. Os cenários tem sido a coisa mais importante. Nossos cenários e locais são tão impressionantes, os lugares que nós vamos… Até as paisagens do Canadá onde nós filmamos, parte do material exterior é tão surpreendente que atuar não é nem parte disso. É como estar em terras mágicas de verdade, é o que sente.

O que os telespectadores podem esperar de Alice conforme temporada avança e ela se torna mais enraizada e seduzida por Brakebills e sua exploração de si mesma?

OLIVIA: Ela definitivamente cresce um pouco e torna-se a mulher que ela tem muito medo de ser no início, especialmente em suas interações com Quentin e os outros personagens. E nas batalhas que enfrentam no show, ela evolui de uma maneira emocionante e torna-se mais poderosa do que ela provavelmente jamais pensou que fosse.

 

Fonte: Blastr
Tradução e Adaptação: Olivia Dudley Brasil
Não reproduza sem os devidos créditos