Review: 1.06 “Impractical Applications”

“Maga solteirona morre sozinha, comida por gatos”

Um dos maiores problemas da saga Grossman (autor da trilogia) é a velocidade em que os acontecimentos ocorrem. Quem não leu o primeiro livro pode estar achando a série bem corrida, afinal eles já estão realizando os testes, isso no episódio 6. Quem leu o livro pode até achar lerdo, pois no primeiro volume acompanhamos mais ou menos 7 anos da vida dos protagonistas. Particularmente estou achando a velocidade ótima, dá pra conhecer melhor os personagens e esperar ansiosamente pelo futuro.

Seguindo a estrutura já consolidada da série, esse episódio se divide em dois núcleos, a universidade e a jornada da Julia. Na universidade, presenciamos os jovens discutindo rapidamente sobre Fillory, se é real ou não e, logo em seguida, já somos introduzidos a semana de provas. Os alunos precisam passar por 3 provas para continuarem o curso. Falhe e será mandando pra casa. A primeiro prova é tida como praticamente impossível, e Quentin e Penny só conseguem concluí-la pois trapaceiam, colando tudo da Alice. A sacada foi genial, nunca proibiram ninguém de trapacear, na verdade esse era o objetivo e o colega que recusou foi eliminado do processo e da universidade. A segunda prova constituía em explorar habilidades rústicas sem uso de magia, e particularmente essa prova foi ótima, pois exigiu que eles se conhecessem e aceitassem a ajuda um do outro. Para mim, essa parte é claramente uma dica para eles, algo na linha de que ninguém precisa estar sozinho só porque é um mago, todos estamos aqui para nos ajudar. Essas duas primeiras provas além de fantásticas, serviram para construir melhor os personagens Eliot e Margo; eles começaram a deixar de serem apenas figurantes para mostrarem o quanto são poderosos e importantes para a trama. E talvez tenhamos levado um spoiler enorme numa pequena fala de um deles.

No núcleo de Julia, as coisas ainda estão naquela dela querer ser mais poderosa que Marina e para isso se junta com ninguém menos que a mãe de Kady e, com isso, finalmente descobrimos porque a universitária aceita trabalhar e ser tratada daquela maneira pela quase-formada bruxa. Gostei da ideia da Julia, criar um novo refúgio, com proteções e invisível para Marina nunca ferir quem realmente deseja aprender magia. O plano pra roubar novos feitiços foi genial também, pena que Marina foi um pouco mais esperta e agora está vindo buscar vingança -a cena da morte de Hannah foi um show a parte. Isso só nos diz que em breve teremos um grande embate entre as duas e espero que Julia esteja poderosa o suficiente para derrotar a megera sem nenhuma dificuldade, ou melhor, derrotar após uma bela surra. Todos amamos isso nas novelas e queremos nos seriados.

Ao voltarmos pra Brakebills, deparamos com os preparativos para a última prova, onde duplas deveriam se despir, amarrarem suas mãos e confessarem suas verdades mais obscuras ao parceiro. Novamente o episódio deu destaque para Kady e entendemos o real motivo pelo qual ela ficou com Penny; acredito que a revelação se deu pois ela está apaixonada pelo jovem e prefere acabar com tudo antes que Marina se vingue. O par do jovem Q era claro que seria Alice. Foi emocionante entender mais sobre ela e descobrir que ela se sente rejeitada por ser inteligente, escondendo até mesmo parte de sua capacidade pra não ser tão odiada. Enquanto Q revela o que já sabíamos, ele sempre teve problemas e já foi internado algumas vezes em um hospital psiquiátrico.

Ao final das revelações, todos os jovens conseguem cumprir as provas e ganham o direito de continuar na escola. Ou será que aquela última cena diz que falharam na prova final e serão castigados por isso? Só saberemos na próxima semana, no mesmo horário e no mesmo canal (ou site de torrent).

Guia Brakebills para calouros:

– Ótimo ver que os veteranos avaliam os calouros, até agora eles não tinham tanto destaque;

– as roupas de Elliot e Margo estavam ótimas e combinando com o futuro deles;

– Q não é virgem, será que aconteceu no hospital?

Quack!

Marcwz