Review: Episódio 2.01 “Knight of Crowns”

The Magicians 2.01 – Knight of Crowns

The Magicians teve um dos finais mais surpreendentes de uma série ao optar pela morte de seus personagens principais no fim da primeira temporada. Foi uma decisão ousada dos roteiristas John McNamara e Sera Gamble, já que grande parte dos conflitos que foram apresentados ao público nos últimos capítulos não tiveram resolução. Coube então ao novo episódio da série intitulado “Knight of Crowns” ( Cavaleiro das Coroas) responder o que ficou em aberto e, como consequência, o episódio pareceu mais um retorno de uma mid-season do que o início de uma nova temporada.

Para quem acompanhou a divulgação da 2º temporada não foi uma surpresa o retorno de todos os personagens, mas a resolução do cliffhanger foi um tanto anticlimática: em poucos segundos Alice usou seus poderes divinos recém-adquiridos para ressuscitar os seus colegas (“engolir têm suas vantagens”, como bem observado pela Margo). O mesmo pode-se dizer da reação do Penny ao perder as mãos, que parece lembrar disto apenas quando eles decidem comer alguma coisa. Um dos grandes triunfos dos livros de Lev Grossman é o fato da magia não ser capaz de solucionar todos os problemas, por isso experiências como morte e violência são verdadeiramente ameaçadoras. Ao oferecer um banho de sangue e, em seguida, reverter todas as consequências com pouca ênfase a série de Tv pode sofrer para estabelecer novamente um senso de perigo e terror que foi tão bem desenvolvido na 1º temporada. Enquanto Quentin e os demais alunos de Brakebills  buscam um novo plano para enfrentar a Besta em Fillory, Julia segue com uma história paralela ainda mais sombria e parece encontrar na vingança sua única forma de lidar com o que ocorreu. O fato de tanto Martin quanto Julia sofrerem abuso sexual faz com que a aliança dos dois pareça mais profunda do que aparentava inicialmente, em certo ponto no episódio ele realmente parece entender a dor dela e até arriscaria dizer que está tentando ajudar ( ou será que o seu objetivo mesmo é corrompê-la?). Acho que mais do que a vingança, o fato de Julia abandonar ou não sua “sombra” ( humanidade) será um dos conflitos da personagem nesta temporada.

O destaque deste episódio definitivamente foi Fillory, como não amar um lugar em que para ser coroado é preciso responder um quiz dos anos 90? A interação dos personagens com este reino ( e seus habitantes estranhos) é onde The Magicians mais brilha: diálogos rápidos e cheios de referências, com uma boa dose de humor. Além da sátira com contos fantásticos, a série continua revertendo clichês do gênero de fantasia ao optar por coroar Rei o personagem gay  que em qualquer outra trama seria um mero alívio cômico, mas que ganha cada vez mais importância em The Magicians. Com um tom mais contido, o episódio “Knight of Crowns” se preocupou mais em arrumar a bagunça da finale do que avançar a trama, mas é um começo promissor.

3/5